Estamos cada vez mais próximos de que a Ideologia de Gênero seja eliminada na BNCC.

Leia com atenção não só a matéria abaixo, como baixe também todos os vídeos e documentos listados. Não se trata apenas de informação.

1. SESSÃO ESPECIAL DE HOMENAGEM À FAMÍLIA NO AUDITÓRIO NEREU RAMOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS
Nesta quarta-feira, dia 25 de outubro de 2017, foi realizada uma Sessão Especial de Homenagem à Família no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados de Brasília, simultaneamente ao início do processo de impeachment do presidente Temer no auditório principal.
O presidente da Câmara Rodrigo Maia ausentou-se temporariamente da coordenação do Impeachment para comparecer à cerimônia e fez um pequeno discurso contra a inclusão da ideologia de gênero na BNCC.
Em seguida o deputado Diego Garcia aproveitou para interromper o cerimonial e pedir a todos os deputados presentes e mais grande número de ouvintes de Brasília e de Goiás para entregar ao presidente
Rodrigo Maia o requerimento REQ 7331/2017 que pede que o Projeto de Lei 4486/2016 de autoria do deputado Rogério Marinho (PSDB/RN) que altera o Plano Nacional de Educação (Lei nº 13.005/2014), exigindo que a Base Nacional Comum Curricular – BNCC, não possa ser aprovada mediante simples homologação do Ministério da Educação, mas tenha que ser votada e aprovada primeiro pelo Congresso Nacional. Neste caso, os deputados e senadores poderiam emendar a Base, antes de aprová-la, retirando todas as referências à Ideologia de Gênero. Foi explicitamente pedido ao Deputado Rodrigo Maia que paute e vote o Requerimento o mais prontamente possível.
O discurso do Deputado Rodrigo Maia e a entrega do Requerimento podem ser vistos neste vídeo:
https://youtu.be/mvf99T_frTE

2. VERSÃO PRELIMINAR DE UM ESTUDO DA ASSOCIAÇÃO DE MÉDICOS PELA DIVERSIDADE.
Juntamente com o Requerimento, foi entregue pelo Deputado Diego Garcia ao Deputado Rodrigo Maia, a versão preliminar de um documento preparado pela Associação de Médicos pela Diversidade, ali representados pela Dra. Carla Dorgam, com uma ampla exposição da ausência de fundamentação científica dos principais pressupostos da Ideologia de Gênero.
O estudo elaborado pela Associação de Médicos pela Diversidade pode ser examinado neste outro endereço:
http://www.cristianismo.org.br/2017-10-23-AMD-MEC.pdf

3. APRESENTAÇÃO DA DRA. CARLA DORGAM.
Mais adiante, na mesma Sessão, a Dra. Carla Dorgam tomou a palavra e explicou o conteúdo da versão preliminar do estudo da AMD. A fala pode ser vista neste endereço:
https://youtu.be/rzx0btQJ_xI

4. POSSE DO DEPUTADO DIEGO GARCIA NA PRESIDÊNCIA DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA VIDA E DA FAMÍLIA.
Em seguida o Deputado Diego Garcia assumiu a presidência da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família e se comprometeu, em nome da maioria dos membros do Congresso, não só a retirar completamente a Ideologia de Gênero da BNCC, como também a não mais permitir que esta Ideologia avance na legislação nacional.
Veja o discurso de posse do Deputado Diego Garcia neste endereço:
https://youtu.be/MRYrizipFyo

5. APRESENTADO NO SENADO O PLS 400/2017, PARA IMPEDIR A APROVAÇÃO DA BNCC SEM QUE A BASE SEJA VOTADA NO CONGRESSO.
Além destes fatos ocorridos na câmara, no Senado o Senador Ricardo Ferraço, do Estado do Espírito Santo, apresentou esta semana um novo projeto de lei, semelhante ao PL 4486/2016 do deputado Rogério Marinho, mas que irá tramitar a partir do Senado, que também exige que a Base Nacional Comum Curricular não seja aprovada sem antes ser votada pelo Congresso Nacional.
Trata-se do PLS 400/2017, de autoria do próprio Senador Ricardo Ferraço. A tramitação pode ser consultada no site do Senado:
http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/131327
Na justificativa do projeto o Senador argumenta que:
“O procedimento adotado para elaboração da BNCC não contempla os atores importantes de forma completa. Concebida no âmbito do Conselho Nacional de Educação, a Base é enviada ao MEC, que decide pela sua implementação.
É temerário que somente o Ministério da Educação (MEC) e o Conselho Nacional de Educação (CNE) sejam os responsáveis pela elaboração e aprovação da base.
O processo em si mesmo já é condenável. Valoração tão importante para o futuro da nação deve ser amparada num processo democrático pelos poderes executivo, legislativo e comunidade educacional.
A sociedade precisa opinar, o Executivo deve elaborar e o Congresso Nacional, representante legitimado pelo voto popular, decidir, em última instancia, a revisão ou a aprovação do documento que poderá mudar a vida escolar de mais de 50 (cinquenta) milhões de estudantes matriculados no ensino básico das redes estaduais, municipais e privadas do Brasil”.
http://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=7233179&disposition=inline

6. CONCLUSÃO
Todo o trabalho, todo o estudo e todo o empenho metódico que tantas pessoas estão realizando para levar a público conhecimento a realidade e as causas do que se esconde por detrás da Ideologia de Gênero e da BNCC, e como estas realidades são aspectos dentro de um empreendimento mais amplo de construção de uma Cultura da Morte produzem frutos, como não poderia deixar de ser. Parabéns a todos os brasileiros que estão ajudando a promover o bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *